Vamos ser felizes sozinhos?

Há um grande preconceito da sociedade com quem é solteiro. Desde pequeninos que nos habituamos a ouvir perguntas, como: “Então, já namoras?”. Pelo menos, no meu caso, desde que entrei na escola que me lembro das pessoas me perguntarem se eu já tinha um namorado.

A porca começa a torcer o rabo, quando chegas aos 18 anos e continuas a dizer que não a esta pergunta, pior ainda, se por acaso namoras durante um tempo e a relação acaba. Hoje tenho 25 anos e já ouço algumas pessoas a dizer que sou: “a encalhada”. Essas pessoas não podiam estar mais enganadas. Se há coisa que não me sinto é encalhada. Não é preciso um namorado para ser feliz.

A verdade é que somos educados para precisarmos de alguém para sermos felizes, quando, na verdade é ao contrário, precisamos de ser felizes para termos alguém. Muitas vezes descobrimos isto, porque voltamos a estar solteiros ou saímos de casa dos pais e vemo-nos sozinhos a ter de conviver connosco. No princípio custou-me muito, eu não sabia conviver comigo mas, ao mesmo tempo, foi a melhor aprendizagem que tive na minha vida e estou a ter.

Descobri um monte de coisas que não sabia sobre mim, porque simplesmente comecei a ter tempo para passar comigo: a pensar, a cuidar de mim, a pesquisar assuntos que nunca tinha pesquisado, a ver filmes que teria deixado de ver por saber a outra pessoa não teria interesse, a aprender a cozinhar, a ler sobre novos assuntos. Assim, comecei a descobrir que gostava de fazer coisas que não sabia que gostava.

E atenção que não estou a dizer que estar acompanhado é mau, pelo contrário, mas temos de aprender a ser felizes sozinhos também e a ver as mudanças como coisas boas.

Há muitas pessoas que engatam relações umas nas outras por simplesmente não saberem ou não quererem estar sozinhas, quando o fim de uma relação pode ser das melhores coisas que nos pode acontecer. O impacto de perder uma rotina pode levar-nos a um novo patamar do nosso ser, do nosso autoconhecimento e apontar-nos um novo caminho de vida. Pode ser uma oportunidade de fortalecer amizades e conhecer novas pessoas.

Além disso, não há uma idade para encontrar uma pessoa com quem faça sentido partilhar a vida. Eu continuo a ser apologista do bom e velho ditado: “mais vale sozinha do que mal acompanhada”, embora muitas pessoas não se guiem por ele, acho que sem sabermos quem realmente somos não vale a pena dividir a vida com ninguém, até porque a outra pessoa não tem de vir completar nada, mas sim acrescentar a quem somos. Por isso, se estás solteiro, aproveita.

Aproveita para te desafiares, para te conheceres, para sair da rotina, para fazer coisas que habitualmente não farias, para ler livros que nunca pensaste ler, para experimentar coisas que nunca fizeste, para ouvir música que não ouvirias, para aprender novas coisas sobre ti, para te ouvires, para te cuidares, para seres tu em todos os sentidos que isso pode significar.

Aproveita para seres a versão mais completa de ti próprio, porque como se diz: se tu não gostares de ti, quem gostará?

Sem-título-1

5 coisas que aprendi com… Oprah Winfrey

Se há pessoa com quem eu aprendi muito foi com a Oprah Winfrey. Ela para mim tem das histórias mais impressionantes de superação, garra e sucesso, por isso ela é uma inspiração.

A Oprah no início da sua vida não tinha nada, para teres noção ela ia para a escola com roupas feitas de sacos de ração dos animais e como se não bastasse ainda foi violada. Agora, como deves saber, a Oprah é dona de um canal de televisão americano, têm uma escola para meninas na África do Sul, têm uma revista, enfim, a Oprah têm quase tudo.

É por este exemplo de superação que eu gosto tanto dela e que ouço o que ela diz e a trago hoje aqui para o blog, para vos falar de 5 coisas que aprendi com a Oprah Winfrey:

1. Pára de te comprar com os outros

Tu estás aqui só para seres tu próprio, o mundo precisa de ti tal como tu és e não de uma cópia de alguém. Se tu estás aqui é por existe um propósito para ti, só precisas de ser tu e ganhar confiança em quem tu realmente és.

2. Presta Atenção

A vida está sempre a falar contigo, por isso, ouve o que ela te diz. Quando és confrontado com alguma situação tu automaticamente tens uma opinião sobre ela, tu sabes o teu caminho, só precisas de prestar atenção aos sinais da vida.

3. Assume responsabilidade

Apenas tu tens o poder de fazer a tua vida avançar. Pergunta-te o que é que podes fazer AGORA para avançar com a tua vida, porque, o que interessa é o AGORA e só depende de ti veres o este momento tal como ele é, aceitar, perdoar o passado, assumires a tua responsabilidade e avançar.

4. Sê excelente

Faz a coisa certa, trabalha para ser excelente. O sucesso está directamente ligado a excelência que tu pões nas coisas, e por isso tens a responsabilidade de ser o teu melhor hoje, tens a responsabilidade de olhar para o que fizeste ontem e perguntar: o que é que eu posso fazer melhor hoje?

5.Rodeia-te de boas pessoas para ti

Quando nos rodeamos de pessoas que não se identificam com quem nós somos, ouvimos coisas como: “Quem é que tu pensas que és?”,  “Tu não és capaz”. Por outro lado, quando encontramos pessoas que se identificam connosco, essas pessoas apoiam-nos a ser e a fazer mais e incentivam-nos a ser cada vez melhores. Por isso é essencial rodearmo-nos de pessoas que nos elevam.

E então? Gostaste das 5 lições da Oprah? Com qual te identificaste mais? Espero por ti nos comentários.

Sem-título-1

Como vai o teu trabalho?

Como é que te sentes no teu trabalho?

Já paraste para pensar?

Sentes que és valorizado e que valorizas o teu trabalho? Ou sentes que tens mais coisas a fazer, outros objectivos que queres alcançar?

Pois é, estas perguntas nem sempre são fáceis de responder. Eu, por exemplo, não respondo a estas perguntas facilmente. Sinto que o meu trabalho deve ter um propósito e muitas vezes fico na dúvida se estou no caminho certo, se o meu trabalho ajuda alguém e se estou a fazer algo relevante.

Acredito que não seja a única com este dilema, acredito que haja muitas pessoas por aí que também têm as mesmas questões e que as guardam para si, no entanto, acho que estas perguntas têm de ser feitas sim, têm de ser respondidas sim, porque são importantes para evoluirmos enquanto pessoas e para conseguirmos adaptar a nossa realidade àquilo que queremos para a nossa vida.

É importante nestas alturas pensarmos naquilo que somos e sentimos realmente, o que sempre gostámos de fazer e o que é que faríamos mesmo sem recebermos um pagamento, acho que este é a principal forma de encontrarmos o que realmente queremos fazer na vida, depois é importante também percebermos que valores mexem connosco e com certeza é por aí o caminho.

Por isso, independentemente da tua idade, profissão, estudos, estrato social, pensa nestas coisas, define o teu caminho e começa, vai pelo que tu sentes realmente que faz sentido para ti e não pelo que a sociedade diz que tu tens de fazer.

Avança.

Faz por ti.

Sem medos.

Confia.

Sem-título-1

Queres mudar de vida?

Os nossos hábitos são as acções que nos levam aonde nós queremos chegar, por isso, é bom que os nossos hábitos estejam alinhados aos nossos sonhos.
MAS, eu sei bem que nem sempre é fácil criar um novo hábito, ou porque nos esquecemos, ou porque na nossa cabeça há algo que nos impede de seguir em frente. Por isso, hoje trago-vos algumas dicas que vos ajudam a criar novos hábitos:

→ Encontra uma forma de te lembrares do novo hábito 
Imagina que queres beber mais água durante o dia, marca no teu telemóvel vários alarmes para te lembrarem de beberes água ou então queres começar a comer de forma mais saudável, cria uma lista de compras e não fujas dessa lista. São pequenas coisas que te vão ajudar a manter-te no foco.

→ Não esperes de conseguir nunca sair do novo hábito 
Claro, que durante a criação de um novo hábito vai acontecer de falhares um dia ou outro, continuando na ideia de uma alimentação mais saudável. É claro ao longo desse caminho vai haver um dia que tens uma festa de aniversário e tu vais comer mal e não há mal. O mal está de achares que por teres falhado uma vez que podes falhar nos próximos seis meses por causa de uma refeição. Não. Aceita a falha e na próxima refeição volta ao teu hábito. Para toda a regra há uma excepção só não podes fazer da excepção a regra. 

→ Faz o máximo dos teus hábitos de manhã cedo 
Sim, de manhã se começa o dia. Imagina que queres começar a fazer exercício físico, marca o teu despertador de manhã para acordar mais cedo, veste-te e vai para o ginásio ou faz o teu exercício em casa mesmo (já dei alguma dicas de exercícios para fazer em casa aqui), assim, é mais fácil começar a criar um novo hábito.

→ Começa agora o novo hábito 
Não esperes para amanhã se o podes fazer já. A probabilidade de nunca chegares a fazer se esperares para daqui a pouco é muito grande. Por isso, se podes, começa já.

→ Descobre o que te pôs no hábito que queres mudar 
Pensa porque é que queres mudar de hábito? Quais sãos os pontos negativos que este teu velho hábito traz para o quereres mudar? Isto vai fazer com que quando te sentires menos motivado mantenhas o hábito.

→ Encontra um porque de mudares?
Este ponto é complementar ao anterior, que é pensar nos benefícios que vás ter de mudar de hábitoE assim quando não sentires tanta vontade de continuar no foco vais pensar: “Não. Eu tenho de comer salada porque eu quero-me manter saudável e aquele hambúrguer só me vai fazer sentir pesada, inchada e não traz nada de saudável ao meu corpo. O meu foco é saúde.”, assim, é mais fácil.

→ Não tentes mudar tudo de uma vez 
Ok. Tu tens 300 mil coisas que queres mudar. O conselho mais sensato que te posso dar é: não mudes tudo de uma vez. É muito mais difícil manter o foco, vai mudando, este mês implementas 3 hábitos novos. No próximo mês mais um ou dois. Não precisas de mudar de vida num só dia. Aliás vai ser mais fácil mudar aos pouco do que mudar tudo, começa pelo mais difícil.

O que achaste destes conselhos? Já tinhas pensado neles? Quais são os hábitos que vais querer mudar nos próximos tempo, comenta aqui em baixo.

Sem-título-1

Eu bebo água com limão. E tu?

Há uma coisa que eu faço sem falta todos os dias de manhã, assim que me levanto, uma delas é beber um copo de água com limão. Há já algum tempo que eu ouço nos benefícios da água com limão em jejum por isso arrisquei e a verdade é que me sinto melhor desde que este gesto se tornou um hábito.

Tenho de alertar antes de continuar este post que: é contra indicado para pessoas que sofrem de: refluxo gástrico esofágico, gastrite e hérnia do hiato.

Vá, mas afinal a água com limão faz bem porquê?

Primeiro porque ajuda as pessoas com dificuldade na digestão. Isto porque a composição do sumo do limão é semelhante ao suco gástrico, por isso, vai ajudar o estômago a fazer melhor a digestão. Depois, claro, que por ter muita vitamina C, fortalece o sistema imunitário e já que estamos a falar da vitamina C, posso acrescentar que vai ajudar à produção de colagénio o que faz com que tenhas uma pele mais saudável.

É também uma boa forma de prevenir pedras nos rins por conta do ácido cítrico presente no limão, claro, que nada disto acontece se tomarmos apenas uma vez mas sim se criarmos um hábito.

Basicamente a água com limão ajuda a limpar o organismo de tudo o que lhe faz mal e por isso comecei a criar este hábito. Claro, que quanto mais hábitos saudáveis conseguirmos adicionar a este melhor para o nosso corpo e para a nossa mente, sim, porque quanto melhor estiver o nosso corpo melhor estará a nossa mente.

Vocês já experimentaram este hábito? Sentiram diferenças no vosso corpo? Comentem aqui em baixo, estou curiosa para saber.

Sem-título-1