Estás a sofrer?

O sofrimento psicológico é muitas vezes desvalorizado, ainda estamos numa sociedade, onde ir ao psicólogo / psiquiatra é uma tabu.

Eu acho que não há nenhum motivo para vergonha, aliás, como eu já te disse aqui no blog muitas vezes, se não tivermos os nossos pensamentos / sentimentos em ordem podemos vir a sofrer consequências físicas, por isso é extremamente importante, deixarmos este tabu de lado e ir sim ao médico.

Atenção, não sou com isto a favor de nos encharcarmos em medicamentos para resolver seja que problema for, claro que possivelmente há casos em que é necessário, mas não vamos medicar tudo e mais alguma coisa. Eu sou a favor de médicos que acima de tudo invistam no “treino” psicológico para nos dar ferramentas para enfrentarmos a vida.

Sim, porque treino psicológico existe e em casos de sofrimento psicológico e depressão é importantíssimo.

Mas o que é sofrimento psicológico?

É aquele aquele sentimento que não te deixa viver a tua vida. Uma tristeza que não te deixa sair da cama, um medo que te proíbe de ir atrás do teu sonho ou até de sair de casa…

Isto é mais normal do que tu pensas. Viver é um grande desafio e traz situações que nem sempre são fáceis de lidar, por isso, existem profissionais que servem justamente para nos ajudar a superar estes desafios.

Claro, que há coisas que podemos fazer por nós para melhorarmos a nossa situação psicológica: meditação, exercício físico, conversar sobre o assunto, cuidarmos mais de nós próprios.

Mas acima de tudo, a mensagem que te quero passar é: é normal sentires aquilo que estás a sentir, eu já passei por aí e muitas das pessoas que eu conheço já passaram por aí, mas por muito feia que te pareça a vida, por muito difícil que te pareça, há solução. Procura ajuda. Não tenhas vergonha. Tu mereces o melhor deste mundo.

Sem-título-1

Mostra-me a tua casa e eu digo-te quem és

Sabias que a forma como manténs a tua casa tem efeitos directos na tua saúde mental e diz muito sobre ti?

Já reparaste que quando tens a tua casa desarrumada nunca sabes onde está nada? Começa logo aí, na dificuldade que tens de fazer uma tarefa simples do dia-a-dia. Imagina que queres ir beber uma chávena de chá, mas estão todas por lavar. Ou que estás à procura de um documento importante mas não sabes onde está. Já passaste por isto? Ou, passas por isso frequentemente?

Lembra-te da raiva ou do stress que sentes por teres de ir lavar loiça por causa de um simples chá, ou de te quereres despachar e simplesmente não encontrares o raio do papel. Pois é… tudo isto seria evitado se tivesses mantido uma rotina de arrumação ou se tivesses arranjado uma lógica para arrumares a tua casa.

Existem vários estudos que dizem que há maior probabilidade de depressão e ansiedade em pessoas que mantêm a casa desarrumada. Porquê?

Porque um ambiente desorganizado provoca automaticamente ansiedade à pessoa que lá está, isto porque, o cérebro chega ao ambiente e encontra muita coisa para processar num curto espaço de pouco tempo o que cria ansiedade. Daí ser mais frequente encontrar em casas desorganizadas pessoas com ansiedade, stress, baixa auto-estima e fuga da realidade.

Eu pelo menos, quando entro num ambiente limpo e organizado, sinto automaticamente uma alegria e paz que são inexplicáveis, por isso, hoje deixo-vos 5 dicas para manter a tua casa organizada.

  • Desapega: Aposto que tens coisas em casa acumuladas que não usas mais, ou que nem nunca chegaste a usar, por isso desapega: vende ou doa os objectos que estão bons e põe no lixo o que já ninguém pode utilizar. E assim, ganhas uns trocos também.
  • Lugar definitivo para cada objecto: Define uma ordem para a tua casa, constrói uma lógica e define um lugar para cada objecto, assim, fica muito mais fácil encontrar o que queres.
  • Sempre que abrires uma gaveta tenta deixá-la mais arrumada, assim consegues manter facilmente a organização dos teus armários.
  • Rotina de organização, esta é sem dúvida a dica que mais uso, porque às vezes na correria do dia-a-dia vamos deixando as coisas espalhadas. Se guardares meia hora para arrumar a casa, vais conseguir mantê-la arrumada.
  • Produtos de organização: esta dica é importante, porque muitas vezes nas gavetas é muito difícil manter uma organização, se arranjares caixinhas organizadoras, fica muito mais fácil abrires a gaveta e sentires que ela está arrumada.

5478.jpg

Não te esqueças que a organização não é só no que está a vista, mas também nos sítios onde podemos esconder a desarrumação: armários, gavetas, divisões menos usadas.

Assim, vais ver que a tua rotina vai começar a fluir muito melhor

E tu? Tens problemas de organização? Tens alguma dica de organização que achas que devíamos saber? Deixa aqui nos comentários.

Sem-título-1

Mente

A mente é um lugar perigoso para se estar. Nunca sabemos bem onde nos leva e por onde vai. Mesmo quando estamos empenhados em ser positivos e activos a mente às vezes deita-nos abaixo.

Eu falo com muitas pessoas que estão doentes ou que estão em processo de recuperação e por muito que alguns tentem ser positivos e ter confiança na sua recuperação há dias em que a mente os deita abaixo e o “dark side” ganha.

Mente

Mesmo a pessoa mais brava e positiva têm dias que perde a batalha contra a mente e que se entrega ao medo que bem lá no fundo existe. É normal ter medo. É normal e saudável entregarmo-nos a ele de vez em quando. Só não podemos alimentar a alma desse medo e da negatividade que dele vêm, sim, porque o medo nunca vem sozinho, normalmente, vem com negatividade, vem com desespero. Eu sei o que é isso por já lá ter estado.

O conselho que dou é… luta. Luta o máximo que puderes para não te entregares, se te sentes triste vai fazer alguma que te deixe feliz, conversa com alguém e não tenhas vergonha de pedir ajuda seja a um amigo, seja a um profissional.

Eu já pedi ajuda aos dois, recorri primeiro a quem me é próximo, quando senti que não estava a resultar, fui, sem medo ao psicólogo. E ajudou-me. Saber que existe alguém que entende como me sinto e que não diz apenas “ah… isso não é nada”, ajuda imenso.

Agora, já passei a fase da medicação estou na fase da meditação, porque cala a mente e faz com que ela sossegue, não é fácil de início mas foi e é essencial. É assim que eu acalmo a minha mente e sigo em frente positiva. Dentro da meditação há um espaço onde conseguimos, umas vezes mais, outras vezes menos, relativizar a realidade e encontrar saídas. Por isso, para mim, é essencial.

Tudo isto para dizer: não subestimem o poder da mente. É ela que vos apresenta o mundo como ela o vê. Se a tiveram em baixo, só vão ver desgraças, mas em compensação, se a tiverem bem tratada, estimada e trabalhada, ela apresenta-vos as melhores coisas da vossa vida. Pensem nisso.

Sem-título-1