Desabafos de uma alma em construção #1

Acordo com o sol a bater na minha cara. Amanheceu. É um novo dia cheio de coisas para fazermos e conquistarmos, o mundo é nosso. Olho à minha volta à tua procura.
Não estás.
Caio em mim e lembro-me da realidade. Uma realidade, que na verdade, fui eu que construí. De repente o sol já não é tão brilhante nem o dia parece tão entusiasmante. Enrosco-me nas mantas e choro, outra vez. A verdade não me dá descanso à alma.
Tu já não és meu.
Relembro como tudo começou, era um conto de fadas e tu eras o meu príncipe encantado. Fomos perfeitos. Mostraste-me o mundo e as cores dele, contigo podia conquistar tudo. Ensinaste-me a amar porque eu não o sabia fazer, nem mostrar. Fizeste-me sentir a tal e talvez tenha sido.
Mas a tormenta das más-línguas, não nos largavam nunca. Com o tempo tudo começou a ser mais difícil, mais complicado. Até ao ponto em que à nossa volta só havia destruição mas nós éramos lindos. Perfeitos. Uma verdadeira força da natureza.
Mas, viver fora de nós era impossível.
Não aguentei.
Quebrei.
Desisti.
Fácil?
Podes achar que sim e sei que achas que sim. Mas não nunca foi, nem é.
Passados estes anos todos continuas a morar em mim como moravas antes. E dói. Tudo isto dói.
Quero abraçar-te.
Saber de ti.
Espero que estejas bem.
Até …