Pequeno-Almoço

LifeStyle

Já vos falei aqui da minha mudança alimentar, na realidade o que se passa não é só uma mudança alimentar mas esse assunto fica para outro post.

Uma mudança drástica que aconteceu assim que eu tomei esta decisão foi, sem dúvida, o meu pequeno almoço. Antes esta refeição era inexistente ou apenas uma caneca de leite com café. Sim, eu sei que faz muito mal a saúde não tomar o pequeno-almoço ou não tomar um pequeno-almoço completo, eu sei e por favor não façam isto nas vossas vidas.

Mas continuando, esta foi a primeira mudança que fiz no meu cardápio. O pequeno almoço, por isso, de vez em quando vou trazer-vos algumas sugestões, até porque agora que comecei até que me estou a divertir a procurar e a criar menus diferentes para esta refeição.

As principais diferenças que noto em mim depois que tomo o pequeno-almoço é que de forma geral e durante o dia tenho bem mais energia, estou mais bem-disposta, apetece-me fazer mais coisas. Outra coisa que tenho percebido e que pode ser só invenções da minha cabeça, é que quando chega a hora de almoço tenho mais vontade de comer, não é que tenha fome, já falamos sobre isso aqui, mas estou mais aberta a comer na hora de almoço do que se não tomasse o pequeno-almoço.

Para já o meu menu favorito são papas de aveia (com adição de canela, maçã ou banana), uma caneca de leite com café (sem açúcar) e uma peça de fruta. Mas, sabe-se lá quando muda. Já que estamos a falar neste assunto… qual é o vosso pequeno-almoço favorito? Eu estou aberta a sugestões.

Saga: Peso levezinho

LifeStyle

Desde que me lembro que sou muito magra. Sou tão magra que desde quando entrei na escola e por toda a minha vida académica fui, quase, alvo de estudo. Não tenho, nem nunca tive nenhum distúrbio alimentar diagnosticado, nunca fiz por vomitar, nunca deixei de comer porque tinha de ficar mais magra. Nunca.

Simplesmente, eu raramente sinto fome e por isso nas horas das refeições eu como pouco. Este é o meu problema, sinto-me satisfeita com pouca comida e por isto sou magra.

Claro, que por ser demasiado magra, sempre fui alvo de bullying, tanto por parte de alunos como por parte de alguns professores que por não entenderem o problema acabam por se juntar ao grupo dos que me chamavam nomes cheios de sentido de humor e mau gosto. Por isto, nunca gostei de mudar de escola pois já sabia que a quantidade de piadas ia aumentar e lá iria eu voltar à psicóloga da escola para ela perceber porque é que sou tão magra.

Quando fui para a faculdade, o meu problema aumentou. Porquê? Porque não sei cozinhar (sim, digo no presente, porque ainda hoje não sei, só faço a arte mais emblemática do tuga que é: desenrascar). Na faculdade eu voltei a emagrecer, e foi lá que cheguei ao extremo da minha magreza que foram os 45kg. O que para a minha altura é muito pouco.

Depois de começar a trabalhar, lá consegui ganhar peso e chegar aos 49kg. Resumindo a história, depois de alguns contratempos na vida, comecei a ter sintomas depressivos e voltei aos 45 kg. E aí estou. Nos meus gloriosos 45.

É por isto que estou a escrever este texto e a publicá-lo no blog. Porque, quero comprometer-me comigo própria e convosco a voltar a ganhar peso de forma saudável como foi da última vez, à base de frutas, legumes, várias refeições e exercício físico. Quero partilhar convosco, semanalmente, as minhas receitas, exercícios e truques para ganhar peso. Claro que nada do que eu partilhar aqui substitui uma ida ao nutricionista. Aqui vou só partilhar algumas coisas que faço que me ajudam no aumento de peso e na minha evolução.

Já agora gostava de saber se vocês também têm este problema? Se sim, partilhem comigo nos comentários e contem-me os vossos truques para o superar.

 

 


A imagem de cabeçalho faz parte da campanha Dove Real Beauty