E que tal aproveitar o presente?

Muitos de nós, senão quase todos, temos muita dificuldade em viver o momento presente, a culpa disso é a constante procura por novidades, a constante preocupação com o futuro, a constante preocupação com o que podemos ou não ter feito de mal e as constantes notificações que temos de tudo e mais alguma coisa, sabemos até de coisas que não nos interessam para nada. É esta constante necessidade de actualização que nos leva a casos gravíssimos de ansiedade.

Por isso é urgente aprender a viver no momento presente e a valorizar o momento, porque estados de ansiedade são cada vez mais frequentes e as doenças devido a estes estados de ansiedade também o são, por isso, hoje trago-vos algumas dicas para viverem mais no momento presente:

  • Faça uma coisa de cada vez – muitas vezes damos por nós a fazermos 500 mil coisas ao mesmo tempo, porque temos telefones para atender, e-mails para responder, um compromisso importantíssimo para ir, 2 ou 3 tarefas para fazer. Muitas vezes, no final do dia, nem sequer conseguimos chegar a meio de tudo o que tínhamos para fazer porque tentamos fazer tudo de uma vez e porque estávamos demasiado tensos. Por isso, o meu conselho é: mesmo que te pareça que não podes, faz uma coisa de cada vez, vais ver que és mais produtiva, consegues estar mais tranquila e contacto contigo mesma.
  • Pausas – Vai fazendo pausas durante o dia entre as tuas tarefas, faças o que fizeres, tenta tirar uma pausa, nem que seja de um minuto entre cada tarefa, eu que já trabalhei em ambiente de agência sei da importância desta pausa e do quanto é quase impossível faze-la, no entanto, se não a fizermos passamos pelo dia sem darmos conta do que sentimos, do que fizemos e de que vivemos naquele dia. Portanto, nem que seja por um minuto, pára, respira, faz um check-up ao teu corpo para perceberes como te sentes, bebe água e depois sim, continua a trabalhar.
  • Tem atenção a todos os seus sentidos – É importante termos os nossos sentidos apurados, muitas vezes, estamos com os nossos sentidos desligados. Muitas vezes estamos tão concentrados no futuro e no passado que não aproveitamos o que se está a passar agora, por isso, uma dica que te posso dar para te transportares para o agora é prestar atenção ao que está ao teu redor: as folhas a balançar, ao vento, a tua respiração, ao sol a brilhar ou à lua no céu, presta atenção aos pormenores.
  • Aceitar – Aceitar o que temos agora sem reclamarmos constantemente o que podíamos ter se…, o que fizemos porque…, o que queríamos ter se…, estes ses e porquês matam por completo o nosso momento presente, o que devemos fazer é aceitar e agradecer o que temos agora, sem pensar no passado ou no futuro, preocuparmo-nos apenas com o passo que podemos dar agora.

Estas são a primeiras 4 dicas que tenho para vos dar, lembrem-se que no início não é fácil manter esta rotina, no entanto, assim que conseguimos manter esta rotina na nossa vida, começamos a viver uma vida muito mais tranquila, descansada e sem tantas irritações.

Sem-título-1

Desapeguei… e tirei coisas dos armários

Já uma vez fiz um post aqui no blog sobre o desapego, entretanto aconteceram algumas mudanças na minha vida que me levaram a também eu desapegar, desta vez de bens materiais, por isso, peguei nas minhas coisas e fiz uma selecção.

Para esta selecção, tive alguns critérios, o primeiro de todos é tirar tudo o que não se usa, por isso, roupas que já não uso, materiais de desenho, livros que já li, saíram todos dos armários. Claro que deste grupo, escolhi aquilo que ainda estava em boas condições e o que já não estava em boas condições para separar entre o lixo e a doação.

O segundo critério que tive foi: o significado dos objectos. Perceber que valor dou às coisas e que sentimentos elas me transmitem, portanto, aquela peça de roupa que me foi dada por aquela pessoa que me fez mal mandei para a doação, porque sempre que via essa peça de roupa lembrava-me do mal que essa pessoa me fez, por isso, doei. Já as peças que me fazem lembrar momentos importantes estão comigo, justamente para me lembrar dos momentos felizes que vivi.

A parte mais difícil do desapego é a sinceridade, por estarmos apegados a uma peça muitas vezes arranjamos desculpas para mantermos as coisas em casa, ou porque um dia ainda poderemos vir a precisar ou porque ainda está em bom estado e assim vamos continuar a manter coisas acumuladas em nossa casa, por isso, na hora de escolher é preciso saber se estamos a ser sinceros connosco, caso contrário vamos continuar com a casa cheia de coisas que nunca usamos.

Vocês já desapegaram dos acúmulos que têm em vossa casa? Deixem-me as vossas dicas aqui em baixo.

Sem-título-1

Sabes lidar com os teus problemas?

Quem nunca passou por momentos mais baixos na vida? Toda a gente já passou por um momento menos simpático, a vida é uma grande roda em que um dia estamos em cima, noutros dias estamos em baixo. Mesmo quem parece ter uma vida “fácil”, têm os seus problemas, os seus pontos altos e os seus pontos baixos na vida. O que nos separa uns dos outros é a forma como encaramos os momentos, se nos deixamos deslumbrar quando corre bem, se nos deixamos afundar quando corre mal, por isso, mesmo hoje venho falar-vos de como lidar com os momentos baixos da vida.

O primeiro grande conselho que tenho para vos dar é: aceitar sem se render. Isto quer dizer que não devemos entrar em piloto automático contra o problema, quando temos um problema devemos admitir e aceitar que o temos, afinal, todos temos problemas na vida e é normal, não somos mais nem menos por isso, não somos mais sortudos ou menos sortudos por isso. Temos de olhar para o problema como uma “coisa” que está ali e começar a pensar como o vamos resolver, sem se deixar engolir por ele. Lembra-te: todos os problemas se resolvem.

Um dos melhores conselhos que te posso dar para resolver o problema é olhá-lo de várias perspectivas e tentar arranjar várias soluções. Muitas vezes olhamos para as coisas apenas de uma perspectiva e deixamos de as ver na totalidade, deixamos de ver outras formas de o resolver que muitas vezes nos poderiam servir melhor do que a solução que temos no momento, por isso, tenta construir um afastamento entre ti e o problema, olha para ele de todos os pontos de vista, vais ver que o resolves mais depressa e melhor.

Agradece. Agradecer à vida é muito importante, claro que muitas vezes durante os problemas não temos muita vontade de agradecer mas é importante faze-lo, pelo menos, quando já o conseguimos resolver. Os problemas não são nada mais nada menos que uma forma de nós aprendermos lições e evoluirmos enquanto seres humanos, por isso, agradece por cada desafio que te aparece, vais aprender muito com eles.

Na sequência do conselho anterior trago-vos o último conselho deste post: olha para dentro de ti. Como disse no ponto anterior, muitas vezes, os problemas trazem-nos lições importantes para a nossa vida e um dos exercícios que eu gosto de fazer, é olhar para o problema, olhar para o meu interior e perguntar-me o que é que eu posso aprender com aquele problema, o que é que ele me está a querer ensinar e perceber se é preciso melhorarmos alguma coisa em nós para resolver o problema.

Acima de tudo a maior mensagem que vos quero passar com este post é: encarem os problemas como uma coisa normal da vida, todos nós num momento ou noutro, com mais ou menos intensidade passamos por problemas e são eles que nos ensinam as grandes lições das nossas vidas, por isso, agradeçam, porque se hoje tens um problema é porque amanhã serás uma pessoa mais completa.

Sem-título-1

Tempo é vida

Tu valorizas o teu tempo?

Sim, tu. Valorizas mesmo o teu tempo ou convences-te que sim? Porque tempo é vida. Há quem diga que tempo é dinheiro… eu acho que é vida.

Já pensaste que o tempo que tu estás sentado no sofá a fazer maratona de uma série qualquer tu podias estar a fazer acontecer? Podias estar a fazer coisas que seriam importantes para chegares onde queres.6385

Talvez sejas daqueles que dizem que os sonhos são para os escolhidos e que tu não és um desses escolhidos. Pois não, estás sentado no sofá a ver séries. As coisas não caem do céu, as coisas demoram tempo a acontecer e requerem muito trabalho. Pensa naquela pessoa que tem o trabalho de sonho, que chegou aonde tu gostarias de chegar. Essa pessoa com certeza não está sentada no sofá a ver séries. Está a trabalhar.

Eu também já tive esse problema e foi com pessoas que me disseram semelhante ao que te estou a dizer agora que eu mudei. Agora eu valorizo muito mais o meu tempo e não permito que ninguém o desvalorize. Por isso eu não gosto que se atrasem comigo e se o atraso for muito longo eu pego e vou embora, principalmente, quando já sei que a pessoa faz do atraso uma regra.

13451

Eu penso muito bem o que vou fazer com o meu tempo, quanto tempo vou passar a trabalhar, quanto tempo tenho para pôr os meus sonhos em andamento, quanto tempo tenho para ler, para estudar, para dormir, para passear, para ver séries (sim eu também vejo séries de vez em quando… normalmente à sexta feira ou ao domingo a noite um ou dois episódios). Isto tudo porque eu me respeito e por isso tenho de aproveitar ao máximo o meu tempo para fazer coisas que gosto, que me dão prazer e que me fazem alcançar os meus sonhos. Sempre ouvi o meu avô dizer: há tempo para tudo é só preciso organização. E é verdade, por muito tempo achei que não, mas é verdade. Se não consegues dedicar-te 1 ou 2 horas ao que queres dedica-te por 10 ou 30 minutos, mas dedica-te. Todos os passos são importantes para construíres respeito próprio, amor próprio e os teus sonhos.

E tu valorizas o teu tempo? Pensa nisso.

Sem-título-1

Um canto do céu na terra | Lagoas Quiaios

A Figueira têm paisagens naturais incríveis. Quem já ouviu falar da Figueira da Foz já ouviu com certeza falar da praia da claridade e do seu tamanho, mas não é dela que venho falar, venho lugares muito menos falados mas que são tão ou mais incríveis.

Se há coisa que a Figueira têm é lagoas, umas naturais outras formaram-se por causa da  extração de areia.

Hoje venho falar das lagoas naturais, a principal é a Lagoa da Vela e as irmãs a Lagoa das Braças e a Lagoa Salgueira.

Confesso que vivi muitos anos sem as conhecer mas depois que as vi a primeira vez nunca mais deixei de lá ir. São lugares sossegados, muito pouca gente lá vai e por isso é um ótimo esconderijo para pensar, meditar ou fazer alguma actividade que necessite de concentração total. Lá nem sequer os carros ouvimos a passar na estrada. É um lugar quase sagrado e lindo de morrer.

As três lagoas são rodeadas por árvores, muitas árvores e o máximo que ouvimos lá são os passarinhos a cantar ou os peixes a saltar na água. É um lugar inspirador e o meu favorito para meditar. 

lagoaLagoa_da_Vela_-_nenufarO que acharam? Eu (acho que já se percebeu) acho incrível. Contem-me nos comentários o que acharam.

 

Sem-título-1