A mentira no nosso corpo

Hoje é dia das mentiras e por isso venho falar das consequências das mentiras no nosso corpo, porque os nossos corpos não gostam de mentiras, tanto que, muitas vezes as nossas mentiras são detectadas na nossa linguagem corporal, porque o corpo tende sempre a dizer a verdade, e, por isso mesmo, quando expomos o nosso corpo às mentiras frequentemente acabamos por contrair alguns sintomas.

Antes de passar aos sintomas físicos, sabe-se que sentimentos comuns em quem mente frequentemente (e não sofre nenhuma patologia maior) são a culpa e o medo. A partir do momento em que mentimos começamos a sentir o medo de sermos apanhados na mentira e isso aumenta os nossos níveis de stress. Por consequência deste stress e deste medo, o cérebro acaba por libertar hormonas de alerta, como a adrenalina, que com o acumular das mentiras podem trazer-nos: insónias, compulsão alimentar, tensão muscular, dores no abdómen e no estômago, taquicardia, sudorese, tremores. Ou seja, a mentira vai desequilibrar-nos por completo os chakras e vai fazer com que a longo prazo surjam somatizações mais graves destes desequilíbrios.

Quanto aos sintomas psicológicos podemos contar ainda com: irritabilidade, depressão, mau humor, desconcentração e por consequência começam a existir acidentes pela desconcentração e distracção.

Por isto tudo, é bom perguntarmo-nos se vale a pena viver na mentira. Não será mais fácil viver com a verdade? Enfrentar a consequência dos nossos actos e viver sem este desequilíbrio que a mentira gera no nosso corpo? A ideia é percebermos porque é que precisamos de mentir? É porque fizemos alguma coisa errada ou porque há alguém que não entende o que fizemos, mesmo não prejudique ninguém, para as duas temos uma solução. Se precisamos de mentir porque fizemos alguma coisa mal, é uma oportunidade de aprendermos e fazermos melhor na próxima. Se é alguém que não entende o que fazemos, afasta-te dessa pessoa, porque essa pessoa não te faz bem. Uma coisa é certa, viver na mentira não é solução.

Sem-título-1

5 sintomas de desequilíbrio energético

O equilíbrio energético é uma questão em desenvolvimento na minha vida, já faz algum tempo que esta é uma questão muito importante na minha vida. Isto porque comecei a perceber que a minha energia é influenciada pela energia das pessoas que me rodeiam, por isso comecei a estudar mais sobre energia e sobre a forma como ela é influenciada.

Certamente que já te sentiste mal perto de algumas pessoas, às vezes, estamos muito bem-dispostos até chegar alguém que vira completamente o nosso humor de pernas para o ar, ficamos mal dispostos, ficamos cansados, ficamos tensos, tudo isto por causa da energia de um lugar ou de uma pessoa.

Comecei então a perceber que existem alguns sintomas padrão para quando estamos desequilibrados energeticamente:

  • Stress e depressão, acho que é o sintoma mais imediato de desequilíbrio, a pessoa começa-se a sentir ansiosa, stressada e com a exposição prolongada a esse ambiente ou pessoa começa a sentir-se deprimida.
  • Cansaço, uma pessoa que se sinta constantemente cansada é caso para ter cuidado com a sua energia e com a sua saúde, a exposição a ambientes e pessoas negativas deixa-nos exaustos e por isso é importante afastar-nos, sob pena de arriscarmos uma somatização se continuarmos expostos.
  • Falar mal constantemente, muitas pessoas que têm a sua energia desequilibrada começam a falar constantemente mal de tudo e de todos, podendo sente-se sempre insatisfeita e revoltada.  
  • Vitimização, estas pessoas vêem-se como as grandes vítimas do mundo, por sentirem que o mundo conspira contra elas, quando na verdade é apenas esta energia negativa que está a trabalhar contra essas pessoas.
  • Preso ao passado, pessoas que estão sempre a recordar o passado, a pensar como o passado é que era bom ou a demonizar situações do passado, a par com outros destes sintomas têm de certeza um desequilíbrio energético que é preciso tratar.

Existem formas relativamente fáceis de equilibrar as energias, a primeira que aconselho e a mais natural é entrar mais em contacto com a natureza, quem me conhece sabe que um dos meus rituais da manhã é caminhar ao ar livre, seja num jardim, na praia… qualquer lugar onde estejas mais próximo da natureza faz milagres pela nossa energia. Ter animais de estimação também ajuda, eles não são os nossos melhores amigos por acaso, eles ajudam-nos a equilibrar as nossas energias. Mas existem mais formas de equilibrar as nossas energias, como:

  • Banhos de sal, é interessante fazer banhos de sal uma vez por semana, na sociedade em que vivemos e no ritmo stressante em que vivemos é cada vez mais é importante livrarmo-nos das más energias frequentemente.
  • Banhos de sol, o sol é uma das principais fontes de energia vital, por isso, é também muito importante fazer praia e caminhar ao ar livre.
  • Meditação, hoje em dia existem imensos vídeos no youtube e apps com meditações guiadas, por isso é fácil ter acesso a uma meditação que te ajude a encontrar o equilíbrio.
  • Reiki, já falei do reiki várias vezes aqui no blog, é uma importante técnica para nos mantermos equilibrados, por isso, vale a pena aprender ou encontrar alguém que nos possa transmitir reiki.

Agora resta perceber como é que tu estás… Enquadras-te nos sintomas que te descrevi aqui? Praticas algumas destas técnicas de equilíbrio? Conta-me aqui nos comentários.

Sem-título-1