Tu tens um diário?

Tu sabes que o diário é uma ferramenta extremamente poderosa? É verdade, o diário é um registo que tu podes fazer que te ajuda a vários níveis:

  1. Ajuda-te a conheceres-te melhor, porque ao registares os teus sentimentos e ao ler o que escreves podes perceber o que precisas de trabalhar, que assuntos te estão a incomodar, qual é a frequência de certos pensamentos na tua vida, e isso ajuda-te a trabalhares mais conscientemente os pensamentos que podem ser ou não tão conscientes;

  2. Depósito de ideias, ao usares este registo diário consegues anotar todas as ideias que te surgem diariamente e com eles podes perceber o que te surge mais frequentemente e podes ter um plano geral de tudo e começar a construir um projecto ou uma solução com todo esse apanhado de ideias;

  3. Registo de situações importantes, às vezes na vida é preciso saber em que dia alguma coisa aconteceu, quando alguma coisa começou, e ao manteres um diário podes ter controlo sobre isso, quando precisas de te lembrar de alguma coisa importante é só consultares o teu registo.

  4. Registo médico, é muito importante perceber os sintomas que temos, o que tomamos e quando. Quantas vezes, já fomos ao médico e não sabemos dizer quando começou tal sintoma, se mantiveres um diário é uma coisa que podes anotar. Nós, mulheres, por exemplo, para manter um registo do período menstrual e de como nos sentimentos nessa fase do nosso mês é uma ferramenta muito útil.

A linguagem deste registo diário, só tu é que podes definir, há quem faça o tradicional “Querido diário….”, há quem faça em papel, há quem faça digital… só tu podes definir como é que vai ser e o que é que ele vai dizer. No meu caso, começo com o dia em que estamos, faço o registo de como me senti quando acordei e a partir daí é um livro aberto, há medida que as coisas vão acontecendo vou anotando o que se passou, o que senti, as ideias que tive, o que aprendi no dia, sempre o mais próximo possível do momento em que as coisas acontecem. Como o meu registo é digital, eu tenho uma formatação própria para cada assunto, para quando eu vou consultar o registo saber do que se trata sem ter de ler tudo ao pormenor e consigo ter um índice mais ou menos organizado para consultar rapidamente cada entrada.

Mas, como já te disse, a organização destes registo és tu que tens de decidir, cada pessoa se organiza da forma como se sente mais confortável, mas garanto-te que manter um registo diário na tua vida vai fazer com que aprendas mais depressa algumas lições, vai fazer com que tenhas a tua vida mais organizada e vai trazer-te uma criatividade que só vais conhecer quando começares a registar.

Espero que tentes manter este registo e que partilhes aqui nos comentários o que mudou na tua vida. Se já tens este registo, conta-me aqui nos comentários que diferenças notaste e que dicas nos dás. Espero por ti.

Sem-título-1

Tens medo de quê?

Tu és daqueles que procrastina? És daqueles que acha que não estas destinado a alguma coisa? És daqueles que se acomoda? Já te perguntaste porque é que fazes isso a ti próprio? Será medo?

Pois é, muitos de nós deixamos de seguir as nossas vontades por medo, e aqui há três tipos de medo: o medo do que os outros vão pensar, o medo de não conseguir e o medo de conseguir.

Quanto ao medo do que os outros vão pensar, tens de te mentalizar que os outros vão ter sempre um juízo de valor sobre ti, faças tu o que fizeres há sempre quem te vá julgar: ou porque podias fazer mais, ou porque fazes demais, ou porque não fazes o que as pessoas querem que tu faças, ou porque vais por um caminho certinho demais. Há sempre quem te julgue seja porque motivo for, por isso, o melhor que tu fazes é viver a vida segundo as tuas regras e deixar de lado as regras dos outros, mesmo que esses outros sejam: a tua mãe, o teu pai, os teus irmãos ou o teu namorado/marido. Tu é que tens de saber o que te faz feliz e não as pessoas que te rodeiam, por isso, deixa de lado.

Quanto ao medo de não conseguir, tu só vais saber se consegues ou não se puseres os pés ao caminho, claro que tu não vais começar a ser o melhor do mundo, claro que vais falhar algumas vezes, é o mais natural, aliás até já falamos nisso aqui no blog, e não há mal nenhum se tu no meio do caminho te aperceberes que afinal aquele caminho não é para ti, tu podes sempre mudar de rumo quando começares a sentir que aquele caminho já não te deixa feliz. Nenhum caminho é definitivo, tens sempre oportunidade de mudar e ninguém tem nada a ver com isso, mais uma vez te digo, as outras pessoas vão julgar-te, não importa o que faças.

Por último, e talvez o mais estranho para algumas pessoas, é o medo de lá chegar. Este medo surge por muitos motivos: por medo de ficar sem objectivos quando lá chegamos e acharmos que a vida perde o sentido, pelo medo de não aguentar a pressão de lá chegar, e mais uma vez, o medo de não ser o caminho certo. Bem, quanto ao medo de ficar sem objectivos garanto-te que durante o processo vais sempre construindo novos objectivos em cima do objectivo principal, não precisas ter medo por isso, há sempre novas metas a cumprir. Se estamos a falar do medo de não aguentar a pressão, pensa numa coisa, tu para chegares onde quer que seja vais passar por um processo que te vai preparar para chegar lá forte e com capacidades de aguentar o que for, a vida traz-nos desafios para nos preparar para as nossas conquistas, por isso, não te preocupes com o chegar lá. O medo de não ser o caminho certo, já sabes podes sempre mudar de caminho.

duas dicas que eu te posso deixar para os teus medos, a primeira, seja qual for o teu medo, pergunta-te qual é o pior cenário possível? Traça todos os cenários que possas imaginar e depois arranja uma solução para todos esses cenários, vais ver que o medo começa a acalmar, simplesmente porque, já arranjaste uma solução para todos os cenários possíveis. A segunda dica que te posso deixar é: enfrenta os teus medos o mais rapidamente possível, quanto mais tempo tu deixares passar maior o teu medo fica, assim que tu enfrentas o teu medo ele vai começar a ser cada vez mais pequeno, até eventualmente tu deixares de ter medo.

Agora gostava de saber de ti? Tu tens algum destes medos ou já aplicaste alguma destas técnicas? Conta-me aqui nos comentários.

Sem-título-1

Por um mundo melhor… igualdade

Ser mulher é maravilhoso, mas também, ainda é um desafio. Ainda somos vistas como o sexo fraco, ainda somos rotuladas por coisas que um homem nunca seria, ainda somos vistas como mão de obra mais barata, ainda somos vistas como menos inteligentes, ainda somos vistas como menos capazes, ainda somos vistas como exageradas, ainda somos vistas como dramáticas. Claro que estou a generalizar mas ainda há muitas pessoas que pensam assim.

Há orgulho, por parte dos homens, de ajudarem as mulheres nas tarefas domésticas, no entanto, as mulheres não precisam de ajuda nas tarefas, precisam sim, de partilhar as tarefas com alguém. Quando um filho nasce é a mulher que fica em casa, melhoramos um pouco, os homens podem ficar uns dias com a mulher, mas serão dias suficientes para a recuperação da mulher? Quando uma mulher vai viajar a trabalho sem o filho, tem o rótulo de ser má mãe, já se for o pai, é um bom pai de família.

Ganham as mulheres o mesmo que os homens na mesma função? Não. A opinião da mulher têm o mesmo peso que a do homem? Não. Sofre a mulher bullying em “funções de homem”? Sim. Quando uma mulher se queixa de alguma coisa é considerada uma histérica? Sim. Quando uma mulher está revoltada com algo, automaticamente assumem que está de TPM? Sim.

Por tudo isto e muitas mais coisas, há muito trabalho a fazer para que uma mulher tenha o mesmo lugar na sociedade que um homem, por isso, mãos ao trabalho e nada de baixar os braços. Por uma sociedade mais equilibrada, funcional e justa.

Feliz dia da mulher.

Queres conhecer-te melhor? #02

No mês passado vim aqui trazer-vos um desafio de autoconhecimento porque sinto que muitas vezes vivemos uma vida inteira sem nos conhecermos realmente. Por isso, este mês trago-vos mais perguntas deste desafio de autoconhecimento. Mais uma vez, trago 4 perguntas, uma por cada semana, para que possam ter tempo de pensar seriamente sobre cada uma delas.

As perguntas deste mês são:

  1. O que creditas que é o significado da tua vida?
  2. Quem é a pessoa mais importante da tua vida?
  3. O que é que tu mais gostas de fazer, mesmo quando estás cansado ou com pressa? Por quê?
  4. Que tipo de legado queres deixar?

Já tinhas pensado nestas questões? Se não, aproveita este mês para te perguntares a ti próprio por ti, não precisas de investir muito tempo do teu dia, 15 minutos chega para pensares, se o fizeres todos os dias vais conseguir atingir as tuas respostas.

Por isso, desejo-te bom trabalho.

Sem-título-1

10 músicas para relaxar

Normalmente quando estou em casa gosto sempre de ter uma música de fundo e tenho várias playlists para vários momentos, uma delas é uma playlist que ouço quando estou num momento mais relaxante, normalmente, quando estou a cozinhar ou a ler um livro. Hoje trago-vos essa minha playlist, ela não é fixa, está sempre a ser actualizada mas hoje ela está assim.

E então? O que acharam da playlist? Têm algumas sugestões de músicas para adicionar a esta lista?
Sem-título-1