A mentira no nosso corpo

Hoje é dia das mentiras e por isso venho falar das consequências das mentiras no nosso corpo, porque os nossos corpos não gostam de mentiras, tanto que, muitas vezes as nossas mentiras são detectadas na nossa linguagem corporal, porque o corpo tende sempre a dizer a verdade, e, por isso mesmo, quando expomos o nosso corpo às mentiras frequentemente acabamos por contrair alguns sintomas.

Antes de passar aos sintomas físicos, sabe-se que sentimentos comuns em quem mente frequentemente (e não sofre nenhuma patologia maior) são a culpa e o medo. A partir do momento em que mentimos começamos a sentir o medo de sermos apanhados na mentira e isso aumenta os nossos níveis de stress. Por consequência deste stress e deste medo, o cérebro acaba por libertar hormonas de alerta, como a adrenalina, que com o acumular das mentiras podem trazer-nos: insónias, compulsão alimentar, tensão muscular, dores no abdómen e no estômago, taquicardia, sudorese, tremores. Ou seja, a mentira vai desequilibrar-nos por completo os chakras e vai fazer com que a longo prazo surjam somatizações mais graves destes desequilíbrios.

Quanto aos sintomas psicológicos podemos contar ainda com: irritabilidade, depressão, mau humor, desconcentração e por consequência começam a existir acidentes pela desconcentração e distracção.

Por isto tudo, é bom perguntarmo-nos se vale a pena viver na mentira. Não será mais fácil viver com a verdade? Enfrentar a consequência dos nossos actos e viver sem este desequilíbrio que a mentira gera no nosso corpo? A ideia é percebermos porque é que precisamos de mentir? É porque fizemos alguma coisa errada ou porque há alguém que não entende o que fizemos, mesmo não prejudique ninguém, para as duas temos uma solução. Se precisamos de mentir porque fizemos alguma coisa mal, é uma oportunidade de aprendermos e fazermos melhor na próxima. Se é alguém que não entende o que fazemos, afasta-te dessa pessoa, porque essa pessoa não te faz bem. Uma coisa é certa, viver na mentira não é solução.

Sem-título-1

Vamos beneficiar de Reiki?

Já vos falei aqui num post anterior sobre reiki e do meu primeiro contacto com a terapia, mas hoje decidi vir aqui falar-vos um pouco mais sobre esta energia. Antes de mais quero começar por vos explicar o que significa afinal Reiki, a sílaba Rei significa Universal enquanto a sílaba Ki significa Energia, ou seja, a palavra Reiki significa exactamente aquilo que ele é: uma energia universal.

Esta energia universal de cura existe em tudo e em todos e, qualquer um, depois de ser sintonizado pode canalizar esta energia. Enquanto praticante, esta energia é canalizada do universo, entra pelo chakra da coroa (no topo da cabeça) atravessa o corpo até ao chakra do coração e a partir daí é divido em duas partes que se dirigem para o chakra de cada uma das mãos e sai. É de lembrar, que para receber esta energia não é necessário toque, a colocação das mãos é feita a alguns centímetros do corpo de quem está a receber esta energia, apenas em alguns casos excepcionais é feito um toque leve a quem recebe Reiki. O paciente pode estar sentado ou deitado, completamente vestido mas de preferência descalço.

Esta energia do Reiki é sempre uma energia positiva, que ao entrar no campo energético de quem o recebe vai tratar chakra a chakra os problemas energéticos da pessoa que está a receber esta energia. Muitas vezes, os problemas de saúde que temos são resultado de somatizações de sentimentos e energias negativas que temos no nosso corpo, por isso, ao tratarmos o campo energético estamos a tratar problemas de saúde que temos e com o Reiki podemos:

  • Produzir um profundo estado de relaxamento que pode aliviar o stress que sofre, seja este stress produzido pela doença ou pelo dia a dia;
  • Aumentar as defesas do corpo de modo a que ajude a superar, por exemplo, uma infecção;
  • Aliviar estados de depressão e cansaço;
  • Eliminar ou reduzir os efeitos secundários de fármacos.
  • Potenciar o efeito benéfico dos fármacos;
  • Acelerar a eliminação de toxinas da anestesia e fármacos empregues;
  • Reduzir a ansiedade antes de uma intervenção cirúrgica ou química;
  • Aumentar a sua capacidade de recuperação.

Estes são apenas alguns dos benefícios do Reiki, no meu caso, depois que comecei a aplicar o auto tratamento, comecei a sentir-me muito mais energética durante o dia, comecei a sentir uma maior leveza no meu espírito e no meu corpo, as dores provocadas pelo stress desapareceram, sinto-me mais em paz e com uma maior capacidade de aceitação para comigo e para quem me rodeia.

O contacto frequente com a energia do Reiki faz com que a intuição, a consciência e o autoconhecimento se desenvolva, limpa e clarifica o campo energético e faz essa mesma limpeza também aos ambientes que nos rodeiam. Por isso, para quem têm uma maior sensibilidade às energias é uma prática bastante aconselhada, mas não só, pessoas que tenham qualquer tipo de dor, de mal-estar emocional ou físico, tome ou não medicação pode recorrer a um praticante de Reiki para a ajudar.

Por isso, se se reconhece em algum dos quadros que aqui falei, experimente o Reiki ele vai com certeza ajudar na sua situação, por mais complicada que esta lhe pareça. E lembre-se: Só por Hoje, Sou Calmo, Confio, Sou Grato, Trabalho Honestamente, Sou Bondoso.

Sem-título-1

Vamos lembrar de beber água?

Hoje é o dia mundial da água e por isso hoje venho relembrar dos benefícios que água traz aos nossos corpos, muita gente, esquece-se de beber água durante o dia, eu tenho de confessar que durante muitos anos eu fui uma dessas pessoas, passava dias em que bebia apenas água a hora da refeição (logo a pior hora para beber água). Há uns anos, decidi experimentar beber mais água para ver que diferença eu começava a sentir e foi aí que percebi as asneiras que andava a fazer. Primeiro comecei a sentir-me com muito mais energia e vontade de fazer coisas, depois com o passar do tempo comecei a perceber que a minha acne começou a melhorar bastante, embora a grande mudança tenha acontecido quando comecei a beber todos os dias em jejum um copo de água morna com limão. Comecei também a perceber que deixei de ter tantas dores, dores que para mim antes eram frequentes e agora essas dores passaram.

Mas estes são apenas alguns dos benefícios que eu notei, porque existem muitos mais:

  1. Previne a pedra nos rins;
  2. Alivia a azia e a indigestão;
  3. Previne infecções;
  4. Fortalece o sistema imunitário;
  5. Melhora a memória;
  6. Desacelera o envelhecimento da pele;
  7. Aumenta a imunidade;
  8. Melhora a qualidade do sono;   

Por estes motivos todos, por favor, bebe água. Já sabes que um litro e meio é o mínimo para que o teu corpo funcione como deve ser e para prevenires outras doenças. Pensa no teu corpo como uma panela a ferver, se tu não lhe deres água o teu organismo vai consumir toda a água que tem em reserva e vai começar a estragar a tua saúde a procura de mais água.

Bebe água e sê mais saudável.

Sem-título-1

Tens medo de quê?

Tu és daqueles que procrastina? És daqueles que acha que não estas destinado a alguma coisa? És daqueles que se acomoda? Já te perguntaste porque é que fazes isso a ti próprio? Será medo?

Pois é, muitos de nós deixamos de seguir as nossas vontades por medo, e aqui há três tipos de medo: o medo do que os outros vão pensar, o medo de não conseguir e o medo de conseguir.

Quanto ao medo do que os outros vão pensar, tens de te mentalizar que os outros vão ter sempre um juízo de valor sobre ti, faças tu o que fizeres há sempre quem te vá julgar: ou porque podias fazer mais, ou porque fazes demais, ou porque não fazes o que as pessoas querem que tu faças, ou porque vais por um caminho certinho demais. Há sempre quem te julgue seja porque motivo for, por isso, o melhor que tu fazes é viver a vida segundo as tuas regras e deixar de lado as regras dos outros, mesmo que esses outros sejam: a tua mãe, o teu pai, os teus irmãos ou o teu namorado/marido. Tu é que tens de saber o que te faz feliz e não as pessoas que te rodeiam, por isso, deixa de lado.

Quanto ao medo de não conseguir, tu só vais saber se consegues ou não se puseres os pés ao caminho, claro que tu não vais começar a ser o melhor do mundo, claro que vais falhar algumas vezes, é o mais natural, aliás até já falamos nisso aqui no blog, e não há mal nenhum se tu no meio do caminho te aperceberes que afinal aquele caminho não é para ti, tu podes sempre mudar de rumo quando começares a sentir que aquele caminho já não te deixa feliz. Nenhum caminho é definitivo, tens sempre oportunidade de mudar e ninguém tem nada a ver com isso, mais uma vez te digo, as outras pessoas vão julgar-te, não importa o que faças.

Por último, e talvez o mais estranho para algumas pessoas, é o medo de lá chegar. Este medo surge por muitos motivos: por medo de ficar sem objectivos quando lá chegamos e acharmos que a vida perde o sentido, pelo medo de não aguentar a pressão de lá chegar, e mais uma vez, o medo de não ser o caminho certo. Bem, quanto ao medo de ficar sem objectivos garanto-te que durante o processo vais sempre construindo novos objectivos em cima do objectivo principal, não precisas ter medo por isso, há sempre novas metas a cumprir. Se estamos a falar do medo de não aguentar a pressão, pensa numa coisa, tu para chegares onde quer que seja vais passar por um processo que te vai preparar para chegar lá forte e com capacidades de aguentar o que for, a vida traz-nos desafios para nos preparar para as nossas conquistas, por isso, não te preocupes com o chegar lá. O medo de não ser o caminho certo, já sabes podes sempre mudar de caminho.

duas dicas que eu te posso deixar para os teus medos, a primeira, seja qual for o teu medo, pergunta-te qual é o pior cenário possível? Traça todos os cenários que possas imaginar e depois arranja uma solução para todos esses cenários, vais ver que o medo começa a acalmar, simplesmente porque, já arranjaste uma solução para todos os cenários possíveis. A segunda dica que te posso deixar é: enfrenta os teus medos o mais rapidamente possível, quanto mais tempo tu deixares passar maior o teu medo fica, assim que tu enfrentas o teu medo ele vai começar a ser cada vez mais pequeno, até eventualmente tu deixares de ter medo.

Agora gostava de saber de ti? Tu tens algum destes medos ou já aplicaste alguma destas técnicas? Conta-me aqui nos comentários.

Sem-título-1

Vamos falar sobre peso?

Estamos numa altura das nossas vidas em que os nossos corpos são alvos de críticas e de preconceitos constantemente, ou porque estamos acima do peso ou porque estamos magros, todas as formas físicas são “boas” para receberem críticas.

Eu, por exemplo, por ser magra não posso dizer que ando a cortar nas pizzas ou nos hambúrgueres, nem sequer posso ousar dizer que tenho de começar a fazer mais exercício físico, porque aos olhos da sociedade já sou magra o suficiente não preciso de ter mais cuidados.

Já uma pessoa que esteja acima do peso, não pode comer nada porque as pessoas começam automaticamente a tentar perceber o que é que ela vai comer e se têm o azar de ir comer fora a uma rede de fast food é automaticamente criticada, quando na realidade, pode ser a única vez na semana que ela está a quebrar a regra. E mesmo que não seja, mesmo que seja hábito, ninguém têm nada a ver com isso.

Temos de perceber que cada um sabe de si, e podemos ver alguém que seja gordo e seja muito mais saudável que uma pessoa magra, o peso não é indicativo do estado de saúde. Já pensaste que a pessoa gorda que ainda hoje estiveste a controlar o que comia, pode na realidade ser gorda por conta de alguma medicação que a pessoa toma? E essa mesma pessoa pode ter todos os cuidados alimentares para tentar contrariar essa tendência a engordar? Assim como a pessoa magra, pode ser extremamente sedentária e só comer porcarias, e por isso, ter problemas de saúde.

Eu acho que nós temos de ter a noção que nós não sabemos o que se passa na vida das pessoas pelo peso delas. Nós não temos todos de ter corpos esculturais e todos trabalhados. Temos sim, de viver dentro de um corpo que nos faça feliz. No final das contas, para que me serve um corpo escultural, se eu odeio todo o ritual de fazer exercício e de restrição alimentar para lá chegar? Do que me serve ter um corpo magro, se na realidade eu amo comer e vivo infeliz de não poder comer o que quero?

Na verdade, este post serve para apenas um motivo: percebermos que a forma do corpo não nos define: estados de saúde, personalidade, capacidade ou não de trabalhar. A forma do corpo é apenas isso: uma forma, e é cada um dentro do seu corpo e com o seu médico que sabe, o que é ou não melhor para si, e não nós, meros juízes de bancada, a julgar apenas por uma imagem que temos da pessoa.

Sem-título-1